Não perca nenhuma das nossas notícias e dicas. Assine a nossa newsletter!
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.

Efeito Tyndall no Preenchimento Facial

O Efeito Tyndall no Preenchimento Facial é um evento adverso tardio e que confere coloração azulada à pele da região tratada com Gel de Ácido Hialurônico.

Efeito Tyndall no Preenchimento Facial

O Efeito Tyndall no Preenchimento Facial é um evento adverso tardio e que confere coloração azulada à pele da região tratada com Gel de Ácido Hialurônico.

Você sabe o que é o Efeito Tyndall no Preenchimento Facial?

Na físico-química o Efeito Tyndall é explicado como o efeito óptico da dispersão da luz pelas partículas coloidais.

Se a definição acima lhe parece grego, não se desespere (ainda)!

Afinal, nós estamos aqui para falar de Preenchimento Facial, entender o que é o Efeito Tyndall nesta área e como ele pode acontecer.

O que é o Efeito Tyndall no Preenchimento Facial?

Este é um evento adverso tardio e que confere coloração azulada à pele da região tratada com Gel de Ácido Hialurônico.

Ele ocorre por conta da injeção superficial do material de preenchimento, que forma nódulos transitórios e resulta em intercorrência clínica.

O Efeito Tyndall também pode resultar de qualquer vestígio de Hemossiderina.

Para entender melhor acompanhe atentamente a explicação abaixo:

Suponha que você fez um procedimento de preenchimento e teve extravasamento sanguíneo na região por rompimento de um vaso.

As hemácias presentes no sangue transportam ferro e com o extravasamento ficam aprisionadas, tanto no ácido hialurônico quanto na derme.

Neste processo elas sofrem morte celular e o ferro fica aderido ao epitélio.

O que gera a mancha pela Hemossiderina após a lesão vascular e caracteriza o Efeito Tyndall.

Caso o preenchimento seja feito com outro tipo de material como a Hidroxiapatita, por exemplo, a coloração da pele que indica a complicação terá aspecto esbranquiçado.

Apesar das fontes literárias e da própria internet informarem que são raras as complicações relacionadas ao preenchimento facial, o que tenho visto na prática é bem diferente.

Pois os pedidos de ajuda para reverter problemas aumentam a cada dia e isso é bastante preocupante.

Infelizmente o despreparo de muitos profissional na hora de diagnosticar e tratar complicações existe e precisa ser combatido com conhecimento.

Por isso este Blog que vos fala busca trazer somente informações relevantes e esclarecedoras a respeito da HOF, assim como os Cursos Online do Portal Diogo Melo.

Como tratar o Efeito Tyndall?

É impossível falar de Efeito Tyndall sem citar nódulos transitórios gerados pela aplicação equivocada e superficial de géis de preenchimento.

O equívoco na escolha e aplicação do material preenchedor, bem como a manipulação incorreta do tecido, podem gerar esse nódulos.

Por isso o preenchimento deve ser injetado apenas após a agulha ter atingido profundidade apropriada, devendo-se parar a injeção antes da retirada da mesma.

A primeira premissa para saber aplicar produtos de preenchimento é entender como reverter uma complicação caso ela aconteça.

A reversão do Efeito Tyndall e dos nódulos transitórios deve ser feita com auxílio da hialuronidase.

Ela será a responsável pela quebra do produto de preenchimento utilizado.

Dependendo do caso pode ser necessária mais de uma aplicação, que não será agradável para o paciente, mas com certeza solucionará o problema.

A hialuronidase causa dor ao paciente pois sai literalmente “quebrando tudo” para dissolver as partículas de ácido hialurônico.

Para saber mais sobre o papel da hialuronidase na harmonização facial clique AQUI.

Não é necessário o uso de compressa morna ou fria nem prednisona, como já visto em alguns estudos de caso, pois não se trata de uma complicação tardia.

É excesso de produto, erro de aplicação, de anatomia (não saber onde está aplicando) e calibre de agulha errado também.

Um caso de sobre-correção não deve ser tratado como se fosse um ETIP (edema tardio intermitente e persistente).

Não saber diagnosticar um caso de intercorrência de forma correta leva a uma sequência de erros ainda maior, além do atraso de tratamento do quadro do paciente.

Para a correção dos nódulos e granulomas a aplicação local da hialuronidase é o tratamento de escolha.

Vídeo Dica

Como sempre ao final de cada publicação aqui no Blog, fique com a vídeo dica sobre o tema de hoje.

E aproveite para acessar o Meu Canal no Youtube para ver mais vídeos relacionados a HOF.

Até a próxima,
Doutor Diogo Melo.

Comentários
Diogo melo

Olá, em que podemos te ajudar?
Nós chame se precisar de algo!

Converse conosco